Árbitros jauenses da CBF explicam novas regras a jogadores do XV

As alterações nas regras do futebol em vigor a partir de agora foram explicadas aos jogadores e comissão técnica do XV de Jaú por dois profissionais da arbitragem que fazem parte do quadro da CBF. Reunidos na noite de quarta-feira no vestiário 2 do Estádio Zezinho Magalhães. Todas as dúvidas foram sanadas. E vamos para o jogo.

A palestra foi realizada pelo árbitro José Claudio Rocha Filho, o Ju da Rocha, pelo árbitro-assistente Miguel Cataneo Ribeiro da Costa e pelo assessor de arbitragem do XV, Gustavo Chacon. Na reunião estiveram ainda dirigentes do XV, o técnico Rogério China e o gerente de futebol do clube e da Head Soccer, Careca Paiva.

O presidente do XV, Rodrigo Luiz Paulino, programou essa palestra para esclarecer a todos do clube sobre as mudanças aprovadas pela Fifa. "Foi uma noite de muito aprendizado. O elenco está ciente das mudanças que implementadas a partir da segunda fase do Campeonato Paulista da Segunda Divisão".



Os árbitros falaram ponto a ponto e abriram espaço para dúvidas, muitas delas envolvendo os goleiros. Para Ju da Rocha, a mudança na cobrança de tiro de meta é uma das mais importantes e que podem ser decisivas no placar.

Segundo a regra nova, os jogadores poderão tocar na bola e dar sequência a partida mesmo de dentro da área após a cobrança do tiro de meta. Não será mais necessário esperar a bola ultrapassar o espaço demarcado (sair da área).


Miguel, Ju da Rocha, Gustavo e Rodrigo Paulino


Entenda as mudanças (*)


Substituição

Com a intenção de acelerar o jogo, os jogadores que forem substituídos terão de sair de campo obrigatoriamente pela linha mais próxima, não exatamente pelo centro, a não ser que o árbitro autorize o atleta.


Cartões para a comissão

Os membros da comissão técnica poderão ser advertidos com cartão amarelo. Até então, o árbitro só tinha duas opções: advertência verbal ou expulsão.


Bola ao chão

A bola ao chão agora não terá disputa. A bola será ‘dada’ apenas ao último jogador a tocar na bola antes da paralisação. Se for dentro da área, o goleiro ficará com a bola. A ideia é amenizar o que jogadores usem a desculpa do fair play para devolver a bola ao adversário em um local longe da jogada inicial.


Tiro de meta

Os jogadores poderão tocar na bola e dar sequência a partida mesmo de dentro da área após a cobrança do tiro de meta. Não será mais necessário esperar a bola ultrapassar o espaço demarcado.


Mão na bola

O toque de mão ou braço na bola será considerado faltoso mesmo quando sem intenção ou involuntário. Isso valerá para toques que barram uma finalização ou passe e também para gols ou lances que originem uma jogada de gol. Em qualquer desses casos, o árbitro terá de marcar a infração. A ideia é tornar esse tipo de lance menos interpretativo.

O toque de mão ou braço na bola só não deverá ser marcado nos casos já previstos, que atentam sobre braço junto ao corpo, proximidade entre o chutador e o marcador, aliado a velocidade do chute.


Cobrador de pênalti

Se um cobrado de um pênalti precisar de atendimento médico, ele poderá regressar ao campo para cobrar a penalidade. Antes, esse jogador era obrigado a aguardar o reinício do jogo.


Cara ou coroa

O vencedor da disputa escolherá a bola ou o campo. Antes dessa mudança, o vencedor só podia escolher o campo.


Vantagem no cartão amarelo e vermelho

O árbitro não precisa mais aplicar os cartões antes das cobranças das eventuais faltas. O homem do apito poderá dar vantagem a uma cobrança rápida e deixar para mostrar o cartão após a conclusão do lance.


Barreira

Nas cobranças de faltas, os jogadores do time detentor da cobrança terão de ficar pelo menos a um metro dos atletas adversários que compuserem a barreira. Isso para evitar empurrões em cima daqueles que estão ali para interceptar o chute.


Cobrança de pênaltis

O goleiro não precisará mais ter os dois pés em cima da linha de fundo até o momento da batida na bola. Bastará apenas um pé. O outro poderá ser usado para o impulso do arqueiro.


Recuo para o goleiro

Após recuo de bola ou cobrança de lateral de um time para o seu goleiro e esse goleiro errar a tentativa de um chute, ele poderá, então, pegar a bola com as mãos.


Comemoração

Os árbitros deverão aplicar cartão amarelo em caso de exagero na comemoração de um gol mesmo que o lance tenha sido anulado.


Fonte: Gazeta Esportiva, com base no manual elaborado pela Fifa


VEJA O MANUAL COMPLETO. CLIQUE AQUI


Rogério China, técnico do xv