FPF e médicos formalizam protocolo para início dos treinos da Segunda Divisão

Reunião por meio de teleconferência na noite de terça-feira entre médicos de clubes e o conselho de saúde da Federação Paulista de Futebol definiu o protocolo sanitário para a retomada dos treinamentos do Campeonato Paulista da Segunda Divisão. O XV de Jaú participou representado pelo médico José Geraldo Mourisco Troiano.


Ao fim da reunião, ele e a diretoria do clube reafirmaram a participação no campeonato, cuja formalização por meio de ofício deverá ocorrer até esta sexta-feira, dia 21. Os clubes que oficializarem o interesse na disputa vão participar do Conselho Técnico na próxima terça-feira, dia 25.


“Nós vamos assinar sim a adesão ao campeonato, como outros clubes também manifestaram interesse. Assim que chegar o protocolo eu e a diretoria do XV vamos assinar, para poder dar continuidade a esse processo de liberação”, diz Dr. Troiano, que é o médico responsável pela saúde no clube.




O encontro ocorreu para formalizar o protocolo de treinos e do início do campeonato. O protocolo e a testagem durante o campeonato será discutido depois. Agora, o protocolo será enviado ao Governo do Estado para autorizar a reapresentação dos jogadores prevista para 8 de setembro – será nesta data a primeira testagem para Covid-19, para que ocorra a liberação para treinamentos.


Esse teste e o que antecede o início do campeonato em outubro será custeado pela Federação. Equipe do Hospital Albert Einstein vai testar jogadores, comissão e funcionários do clube. Dr. Troiano explica que o teste será o swab, que se utiliza o cotonete para colher o material. Serão 38 testes fornecidos pela entidade.


Além dessas duas testagens pagas pela FPF, outras poderão ocorrer ao longo da disputa, conforme a competição avança. Neste caso, a princípio, os clubes arcarão com as despesas. Além disso, o médico do XV disse que se abordou bastante da videoconferência a necessidade de higienização constante dos ambientes de convívio – vestiários, alojamento , refeitório,... – , como também o distanciamento, uso de álcool gel, de máscaras, inclusive para funcionários e todo o estafe.


“Colocaram bastante responsabilidade sobre os clubes e os médicos. Vamos fazer algumas adaptações no clube, uma vistoria para adequar às exigências”, disse Dr. Troiano. Na reunião ficou claro também que caso algum atleta teste positivo para covid deverá ser isolado por dez dias ou até a resolução do caso. Paralelo aos testes, os clubes deverão fazer diariamente um questionário clínico para averiguar eventuais sintomas.