Goleiro Rodrigo denuncia racismo em jogo do XV em Itararé e repercute na mídia

A denúncia de que teria sido vítima de racismo no jogo em Itararé levou o goleiro Rodrigo, do XV de Jaú, a registrar boletim de ocorrência na delegacia de polícia daquela cidade, onde o time jauense jogou e perdeu por 1 a 0 pelo Campeonato Paulista Sub-23 da Segunda Divisão.

O assunto virou tema de reportagens na TV Tem, que cobriu o jogo, e do SBT, que esteve no Estádio Zezinho Magalhães nesta segunda-feira (22/07) para ouvir o atleta. A TV Record de Bauru também solicitou entrevista com o atleta, sem contar as emissoras de rádio presentes em Itararé.


Rodrigo é entrevistado por repórter da TV Tem em Itararé

O jogador contou como foi agredido verbalmente pelo gandula Anderson Cristiano dos Santos tão logo ocorreu o apito final. O gandula entrou em campo e partiu para cima do goleiro, onde teria chamado de "macaco".

"No término do jogo, estava de cabeça baixa, me direcionei ao meu vestiário, ele passou correndo me chamando de macaco. Eu não sou macaco, meu nome é Rodrigo Antunes. Eu achei que essas coisas no futebol brasileiro tinha acabado. Está faltando amor e paz nos estádios", disse o atleta em entrevista à Globo. O gandula negou a ofensa na entrevista que concedeu.

Gravação do jogo autorizada pela FPF mostra o momento em que o gandula invadiu o campo e parou em frente ao atleta para fazer alguma coisa, até ser separado por um jogador do próprio clube. Na súmula, a arbitragem não constou o suposto ato de racismo, informando apenas entrou em campo par comemorar "de forma acintosa", "causando tumulto".

Justiça - Sobre o que vai fazer, o goleiro comentou: "Vou deixar na mão da justiça. No Brasil acho inadmissível uma situação dessa em pleno século 21. fico muito triste e chateado, porque penso que já tinha acabado esse preconceito no futebol. Infelizmente o delegado acha que isso não foi crime. Vamos ver o que a justiça tem a dizer."


Entrevista de Rodrigo ao SBT Interior de Jaú

Dirigente junto - Após o jogo, dirigentes do XV e da Head Soccer acompanharam o atleta à delegacia, onde foi registrado o B.O. O delegado liberou as partes e disse a Rodrigo que o inquérito teria continuidade, com possibilidade de o goleiro ser ouvido novamente, desta vez perante o delegado em Jaú.

O presidente do XV, Rodrigo Luiz Paulino, afirmou que o Jurídico do clube está dando o respaldo necessário ao atleta. Na delegacia, o goleiro foi informado que pode entrar com ação por danos morais contra o gandula - eventual condenação pode custar três anos de prisão.

TV TEM

https://globoesporte.globo.com/sp/tem-esporte/futebol/noticia/goleiro-do-xv-de-jau-relata-ter-sido-chamado-de-macaco-por-gandula-em-duelo-contra-o-itarare.ghtml

SBT

https://photos.google.com/share/AF1QipPyrzrPfXQAZ_bdat-Laf4Hx93eecB_qha6_TDY7ICvoB2icty1Z_KmVqfl-KyP0A?key=aXU0YW5lanVDVkhabS1XZEtzY05KSEhCRVdBekFR