Registro de atletas na FPF vai ser finalizado quando entidade reabrir atendimento presencial

O XV de Jaú tem diversos jogadores sob contrato, alguns remanescentes do Campeonato Paulista da Segunda Divisão de 2019 e ainda atletas amadores inscritos para o Paulista Sub-20 e que poderão ser utilizados na competição deste ano. É preciso estar atento aos contratos, uma vez que cada atleta tem um vínculo diferente e tem de ser feita a renovação.

Adão Borille, o Peninha, é o gestor de contratos do XV de Jaú. Com vasta experiência na função e conhecedor a fundo dos trâmites na Federação Paulista de Futebol, ele diz que mesmo com a interrupção das atividades por causa da pandemia, a FPF manteve um atendimento à distância para receber documentos de renovação ou inscrição.


Peninha, gestor de contratos do XV de Jaú

Peninha trabalha lado a lado dom a gerência de Futebol, coordenada por Careca Paiva. Este por sua vez trabalha alinhado com a comissão técnica na busca pelos atletas que vão compor o elenco. Esse trabalho começou no início do ano e continua durante a quarentena – quem estava no clube em março segue monitorado e recebendo orientação física à distância. Outros, vinculados a outros clubes, virão para Jaú quando encerrarem a participação nos campeonatos dos quais estão disputando.

“Fizemos renovação de contratos e estamos preparando novos”, diz ele, citando que jogadores que estavam no clube em treinamento em março e que vão retornar já têm seus documentos sendo preparados de forma on-line para serem enviados por e-mail à FPF. Da mesma forma ocorre com jogadores que virão reforçar o XV quando a FPF liberar os treinamentos. Exames médicos também serão feitos no período permitido para concluir o processo de registro.

Peninha explica que os documentos físicos, originais, serão levados à entidade quando retomar o atendimento presencial. São os documentos que atestam o que o clube informa por meio do sistema de registro de jogadores. “Do jeito que está a FPF recebe os documentos por e-mail e encaminha o registro de cada jogador, até que saia no BID (boletim da CBF), mas depois vai precisar da documentação original.”

Sobre prazo de contrato, ele lembra que a regra anterior era de assinatura pelo prazo mínimo de 90 dias. Agora, a FPF deve rever essa regra e autorizar contratos menores do que os três meses.